GRANDCHILDREN

GRANDCHILDREN

♥ GRANDCHILDREN ♥

♥ GRANDCHILDREN ♥

REMARKABLE PEOPLE



FERNANDO PESSOA

(Lisboa, 1888 - 1935, Lisboa)


"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.


************
"I am nothing.
I will never be anything.
I cannot want to be anything.
Apart from that, I have in me all the dreams in the world."

or...

"I am not nothing.
I will never be nothing.
I cannot want to be nothing.
Apart from that, I have in me all the dreams in the world."


(Álvaro de Campos in "Tabacaria")




LISBOA - Chiado

LISBOA - Chiado
"Fernando Pessoa" by Lagoa Henriques. The place: "Café A Brasileira" (Brazilian Café) - 1905.

PLAYLIST TODAY




MUSIC IS THE PASSION REPORT



♥ ♥ ♥


GUITARS



Sep 10, 2016 - 06:13





ADAM LEVINE + PATRICK MONAHAN - PURPLE RAIN [PRINCE]



YouTube – "The Howard Stern Show"





ANN & NANCY WILSON (HEART) - STAIRWAY TO HEAVEN [LED ZEPPELIN]



YouTube – "The Kennedy Center"





PRINCE, TOM PETTY, STEVE WINWOOD, JEFF LYNNE, DHANI HARRISON & OTHERS - WHILE MY GUITAR GENTLY WEEPS [GEORGE HARRISON]



YouTube – "Rock & Roll Hall of Fame"





ERIC CLAPTON - RIVER OF TEARS



YouTube – "slunky08"





JEFF BUCKLEY - HALLELUJAH [LEONARD COHEN]



YouTube – " Danielle Katsav's Channel"





XUTOS & PONTAPÉS - HOMEM DO LEME



YouTube – "NoSa7"







_____________________


LEANING INTO THE AFTERNOONS by PABLO NERUDA

«Inclinado en las Tardes»



YouTube - "FourSeasons Productions"






CHANGING BATTERIES - OSCAR WINNING ANIMATED SHORT FILM



YouTube - "Bzzz Day"





DIALA BRISLY - A BEAUTIFUL YOUNG LADY

(a huge thanks to my daughter who e-mailed this video to me)



BBC Newsnight

«Syria is devastated by five years of war - and it's taken a huge toll on the country's children. Here's one woman - artist Diala Brisly - who is trying to make life that little bit more bearable for Syria's kids.»

Syria is devastated by five years of war - and it's taken a huge toll on the country's children. Here's one woman -...

Publicado por BBC Newsnight em Domingo, 20 de Março de 2016






A JOURNEY BACK TO ENDEARMENT

A JOURNEY BACK TO ENDEARMENT



FLYING A SECRET



I got here to hide. From equations and patterns. From repetition, after all.
Closed the door and got me a special place where I thought I could
somehow sit close to the stars. But I soon found out that the sky was
still opaque, no matter what the steps. And so I left. Again.

I thought, then, I could build me a different ceiling, a new-coloured scrap
of highness. And then make it work. Where I could dream, more than I sleep.
I have long decided that sleeping is overrated - that I know for sure. So I
take that time instead to travel the night alone and in the meantime I allow
myself to fly, unlike stated before... Yes, I like playing with paradox, to
expose the inside of words and the revelation of writing down the voice of a
silence. My adventurous, ever-walking silence.

So I came back. Here, within this quiet world, I intend to gather all my
things usually kept hidden or inactive. They are here to speak.

And since the future is a stand-by secret, I want to live by a precocious
clock, at every running instant of every entering second.

And I will not slow down until my "future exists now" - kind of reverse
quoting Jacob Bronowski.


Ana Vassalo
in my site "CAFEÍNA"(former "No Flying Allowed")
Nov 11, 2010 - 11:54



THE WALK OF TIME

THE WALK OF TIME

terça-feira, 15 de março de 2011

A FESTA



Título e Autor Desconhecidos


[A propósito de

"Silêncio e Tanta Gente"
de Maria Guinot

"(...)
Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou
(...)"

Li de novo, ouvi de novo, e apeteceu-me

muito disparatar, a propósito da asfixia
de talentos, daquilo e de tudo - e de
coisa nenhuma, talvez...]



A FESTA


Veio a banda

e o alecrim

o artifício

do fogo alado

chegou o mago

de bandolim

gasto

de tão procurado

veio o futuro

alvoroçado

meio perdido

na combustão

vieram índios também

e os cowboys já retirados!

fantasia por medida

que a festa finge que é sonho

e o sonho quer-se na mão


e veio sem falta o discurso

a palavra farta e lassa

o povo feito à chalaça

e a medalha

o acidente

reparado na memória

os contentes

os eternos alinhados

e um livro feito de histórias...

levaram pão

alma de enfeites

que o dia é de papa e bolos

um garrafão

de sorriso a ferros

copos erguidos aos berros

fruta que é cheia de inverno

calada

e uma bica de alegria!!!,

só mais uma vez

requentada


um homem chega

com um abraço de guitarra

e o outro visa

sem mesmo ver

a multidão apinhada

soando o piano

que nele acredita

chega o poeta

que ainda crê

no poder da voz aflita

e o cantor

que se finou

no dia em que se ausentou

do verso a rimar com chita

ele é assobio daqui

e o bocejo que se afasta

o bardo grita que basta

e a banda chora um sorriso

fraco e mal percebido

no metal que se empoleira...


e vem a palmada nas costas

a ilusão dos iguais

que se cumpre em festarola

o "democrata liberal"

solidário por um dia

bem treinado na ciência

de aquietar a consciência

e o mano que esconde a ganza

sorri sem dentes de esperança

mas acredita que vive

o outro que se lambusa

couratos e tinto cheio

sente que é livre por fim!

resta depois esse tal

que se sacode num esgar

de beijos e mãos a mais:

guarda a lista de presentes

que se esqueceu de comprar

acena, grita que grita

que o futuro está no ar!


o punho erecto

que jamais sente,

LIBERDADE!

eis o que mente

e sem sombra de remorso

pelos bastidores se vai!


Veio a banda sem contrato

o alecrim sem aroma

o fogo que se afogou!

a medalha

jaz guardada

no bolso da emoção

tentado pela eternidade

quase sempre merecida

conhecida sempre tarde...

o cantor enrouqueceu

o poeta, pobre faleceu

e o piano rendeu-se

à noite que paga mal

a fome que um homem tem

a malta...

de parca trouxa abraçada

ensaia o passo até casa

e segue o fio da madrugada

na luz que a verdade tem

e bebe água de enfiada


e o meu país

corre um rio

cansado e morto de frio

sem cais

ou foz conhecida

nesse mar que já foi vida


Ana Vassalo
in facebook notes
13-03-2011 16:14

Origem das Imagens: site "MacYapper" (blogspot)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Comentários: